Coceira, manchas avermelhadas na pele, feridas e quedas de pelos são os principais sinais e os maiores indicativos de que algum problemas de pele em cães que podem estar começando a se manifestar no seu cãozinho.

É necessário ficar atento às lambidas e/ou mordidas excessivas em uma região determinada do corpo, à presença de secreção nos olhos, ou às infecções constantes nos ouvidos, pois podem ser um indício de que o seu cão está começando a sentir as consequências de uma doença na pele.

Os principais problemas de pele em cães

Dermatite Alérgica a Picada de Pulga

Ao contrário do que muitos pensam, os cães que possuem dermatite alérgica a picada de pulga (DAPP) não precisam estar altamente parasitados por pulgas para desenvolverem a doença.

Basta uma única picada desse parasita para que a sua saliva entre na corrente sanguínea durante a hematofagia e, a partir daí, os cães sensíveis iniciarão a manifestar os primeiros sinais da alergia, que podem progredir até graves lesões e feridas.

Atopia

Dermatite atópica canina (DAC) é uma enfermidade que vem, basicamente, de um processo alérgico inflamatório chamado de hipersensibilidade do tipo 1.

Manifesta-se como uma alteração da barreira cutânea, permitindo que alérgenos e microrganismos externos causem uma doença inflamatória crônica, promovendo coceira, vermelhidão, descamação, queda de pelos e hiperpigmentação da pele.

Esta dermatite está geneticamente condicionada, o que significa que depende dos genes do animal e seu histórico familiar.

Portanto, não é uma doença que pode ser curada. Pode-se tratar para diminuir os sintomas e as manifestações externas, mas o tratamento será para a vida toda.

Hipersensibilidade Alimentar

A hipersensibilidade alimentar ou dermatite trofoalérgica inclui-se entre as dermatopatias de origem alérgica e, na espécie canina, é a terceira em importância quanto à frequência, dispondo-se logo após a DAPP e a DAC.

Essa dermatopatia é definida como uma resposta anormal do sistema imune contra a ingestão de algum alimento ou ingrediente, que acabam promovendo manifestações cutâneas.

Os principais alimentos considerados alérgenos que podem causar problemas de pele em cães são: carne bovina, carne de frango, produtos lácteos, arroz e trigo.

Sarna Demodécica

Existem alguns tipos de ácaros que acometem a pele dos cães, causando as famosas sarnas.

A sarna demodécica, também conhecida como demodicose, é uma doença hereditária, transmitida de pais para filhos, que gera inflamação intensa da pele.

Por essa razão, é importante realizar a castração dos cães positivos, a fim de evitar a propagação deste tipo de agente infeccioso aos descendentes.

Vale a pena salientar que a doença não tem cura, mas pode-se mantê-la controlada com o acompanhamento adequado.

Sarna Sarcóptica

A escabiose canina ou sarna sarcóptica é uma doença altamente contagiosa entre os cães e entre as pessoas.

É o tipo de sarna mais frequente, todavia, com o tratamento adequado, o canino deve estar curado dentro de algumas semanas.

O principal sinal observado é a coceira intensa, que afeta dramaticamente a qualidade de vida dos animais, podendo conduzir a infecções e a sérios problemas de saúde se não tratada.

O contágio acontece de forma direta (contato com o animal doente) ou de forma indireta (contato com objetos, equipamentos, e materiais contaminados). Embora contagiosa inclusive entre as pessoas, é uma condição curável.

Dermatofitose

A Dermatofitose é uma moléstia de origem fúngica que merece atenção, por também se tratar de uma zoonose (doença transmitida do animal para o ser humano).

Na maioria das vezes, a principal transmissão da dermatofitose em cães é o contato direto de um cão infectado com o cão sadio.

A causa mais comum que faz com que o animal apresente a doença fúngica é a queda na imunidade no animal.

Os sinais clínicos desse probsão clássicos e de fácil visualização, podendo-se perceber a alopecia em formato circular, coceira intensa, eritema (vermelhidão), elevações de pele com presença de crostas, etc.

Todos os problemas de pele em cães podem iniciar de forma discreta e com sinais muito semelhantes. Conforme as doenças progridem, a tendência é que o prurido (coceira) se intensifique, da mesma forma que a alopecia (queda de pelos), as feridas e a piodermite (infecção secundária da pele causada por bactérias oportunistas).

Somente com atendimento médico veterinário e exames específicos o pet poderá ter um diagnóstico correto, o qual é indispensável para que um plano terapêutico seja estabelecido e para que a saúde geral do pet não seja comprometida.

Melchiani Baggio

Quais os cuidados necessários com filhotes e idosos? Confira!